Perguntas e Respostas

Este espaço reúne as respostas para as perguntas mais frequentes sobre o Coronavírus SARS-CoV-2 e a doença Covid-19. Navegue, tire suas dúvidas e compartilhe.

Por termos anos de vacinação contra a influenza, esta confere alguma proteção contra a Covid-19?

Não. As vacinas contra o vírus Influenza não induzem a produção de anticorpos contra o vírus Sars-Cov-2. É importante que as pessoas recebam os dois tipos de vacina para terem proteção adequada contra as duas doenças.

Quem teve Covid, pode tomar a vacina?

Sim. Mesmo as pessoas que já tiveram a COVID-19 devem receber a vacina. A única recomendação adicional neste caso é aguardar um período de 30 dias entre o início dos sintomas da doença e a vacinação.

As crianças também poderão tomar estas vacinas?

Não. Por enquanto as vacinas em uso no Brasil foram aprovadas para uso em pessoas com 18 anos ou mais. Já estão em andamento os estudos com crianças para que as vacinas possam ser administradas nesta população também.

Grávidas e mulheres que estão amamentando podem ser vacinadas?

Gestantes e lactantes não foram incluídas nos estudos que motivaram a liberação das vacinas, mas como nenhuma das vacinas disponíveis atualmente utilizam o vírus vivo atenuado (somente o vírus inativado ou partes dele) as contraindicações das vacinas são semelhantes às vacinas para outras doenças, logo,

não há motivo para preocupação adicional com essas populações.

 

Quanto tempo dura a imunidade das vacinas?

Ainda não há resposta para essa pergunta. É possível que seja necessário receber doses adicionais da vacina no futuro, mas nesse momento não é possível prever qual será essa periodicidade.

Quanto tempo uma pessoa com a doença deve ficar isolada?

O tempo de isolamento é definido de acordo com o período de transmissibilidade. Para casos leves a recomendação é de isolamento por 10 dias a partir do início dos sintomas. Para os doentes que necessitem de internação hospitalar a recomendação é de 20 dias de isolamento, mesmo que a pessoa tenha alta do hospital antes de completar esse tempo, deve seguir isolada em casa.

Quanto tempo após contato com alguém doente os sintomas podem aparecer?

Caso tenha ocorrido infecção, o período de incubação (tempo entre a aquisição do vírus e início dos sintomas) pode variar de 2 até 14 dias, mas na maioria das vezes os sintomas começam em 5 a 6 dias após o contato. Por isso é essencial que todas as pessoas que tiveram contato com alguém que estava com sintomas compatíveis com a COVID-19 façam uma quarentena de 14 dias.

Quais são as principais formas de transmissão da doença?

A principal forma de adquirir o vírus é através do contato com as secreções respiratórias de uma pessoa infectada. Outro modo importante de adquirir o vírus é através de pequenas partículas suspensas no ar de ambientes fechados e mal ventilados. Sendo assim, as principais medidas para evitar a infecção são:

  • a utilização de máscaras, justamente para limitar a dispersão dessas partículas no ar e também para proteger o nariz e a boca do contato com essas partículas,
  • manter uma distância segura das outras pessoas, para evitar que as partículas maiores “viajem” de uma pessoa a outra,
  • evitar permanecer em ambientes fechados e mal ventilados pois é justamente onde podem estar partículas infectantes suspensas no ar.

É possível também a transmissão através de objetos e superfícies contaminadas, motivo pelo qual devemos sempre higienizar as mãos após tocar em objetos, superfícies e outras pessoas.

Qual é o tratamento recomendado para a doença?

A maior parte das pessoas infectadas apresentará as formas leves da doença, algo semelhante a um resfriado. Para esses casos a recomendação é de fazer repouso, manter-se bem hidratado e utilizar medicações sintomáticas quando for necessário, ou seja, remédios para dor ou febre. É importante que mesmo com quadros leves essas pessoas sejam atendidas por um médico para receber todas as orientações necessárias. Para casos mais graves, em que há falta de ar, queda de saturação de oxigênio, em geral é necessária a internação no hospital, para receber suporte de oxigênio e medicações para reduzir a inflamação provocada pelo vírus.

 

Quais são as pessoas que podem desenvolver formas graves da COVID-19?

Qualquer pessoa pode apresentar as formas graves da doença, mesmo jovens sem nenhuma outra doença. Mas o risco da ocorrência dessas formas graves é maior em idosos e pessoas com comorbidades como obesidade, câncer, diabetes, insuficiência cardíaca, doença pulmonar crônica, entre outras.

Se a sua dúvida não estiver aqui, manda para a gente.