Espectro clínico – radiológico da COVID-19

A Tomografia Computadorizada (TC) de tórax é uma excelente ferramenta para o diagnóstico da COVID-19, com alta sensibilidade (97%) entretanto baixa especificidade (25%), com acurácia de 68%, sendo uma estratégia diagnóstica interessante em casos selecionados. O artigo publicado em março de 2021 no World Journal of Radiology traz as opacidades em vidro fosco como o achado imaginológico mais comum na infecção pelo SARS-CoV-2, sendo o predomínio bilateral, tipicamente presente em campos pulmonares inferiores, periférico e, por vezes, assimétrico, mas é importante destacar que podemos nos deparar com uma TC de tórax normal em pacientes portadores da doença.

Até o momento, não temos na literatura estudos comparativos entre achados clínicos de caso-controle. Também não temos estudos suficientes sobre o estágio imaginológico e a classificação da COVID-19. Com base nos achados tomográficos evolutivos, estamos legitimados a categorizar os achados tomográficos em quatro estágios: inicial, intermediário, tardio e fase de resolução.

Verma HK. Radiological and clinical spectrum of COVID-19: A major concern for public health. World J Radiol. 2021 Mar 28;13(3):53-63. doi: 10.4329/wjr.v13.i3.53. PMID: 33815683; PMCID: PMC8006056.

https://f6publishing.blob.core.windows.net/8190d065-14c4-4995-b0ed-fce3baf13e14/WJR-13-53.pdf

 

Comments are closed.